Cobogó: aprenda mais sobre essa peça tipicamente brasileira!

O cobogó não é nenhuma novidade em termos de arquitetura, já que foi criado em 1950. Porém, ele tem ganhado cada vez mais charme e sofisticação, aparecendo com graciosidade em ambientes internos e externos e ajudando a trazer mais luminosidade e ventilação aos ambientes.

O seu nome vem da junção da primeira sílaba dos seus criadores, os 3 engenheiros brasileiros: Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest August Boeckmann e Antônio de Góes.

Originalmente, essa peça vazada inspirada na arquitetura indiana e marroquina era usada apenas para dividir ambientes. Hoje ela ganha diversos usos e aplicações, ajudando a diferenciar qualquer decoração. Ficou interessado? Então continue a leitura!

Mas, afinal, o que é o cobogó e quais suas características?

O cobogó, como dissemos, é um elemento vazado que pode ser usado tanto em áreas internas como externas. No início ele era feito apenas com cimento e argila, mas hoje é possível encontrar uma variedade de materiais como cerâmica, vidro, madeira, ferro, mármore, entre outros.

Captura de Tela 2018-07-26 às 17.07.43
Foto: Renata Pineze

Apesar de ser usado na construção civil, é importante lembrar que o cobogó não pode substituir uma parede estrutural, já que não possui condições de suportar toda essa carga. Por isso, antes de fazer qualquer alteração na sua casa, é sempre importante consultar um arquiteto ou engenheiro.

A principal característica da peça é ser um elemento vazado, sendo ideal para ambientes pequenos que necessitam de um pouco de privacidade ou precisam de divisões extras, como os lofts.

Onde posso usar o cobogó?

Como dissemos, o cobogó é extremamente versátil e pode ser usado tanto em áreas internas como externas, sempre que você precisar dividir um ambiente, mas não desejar perder luminosidade ou ventilação.

Algumas opções bacanas para usar esse elemento vazado são:

  • fachadas;
  • divisões internas da casa, como quartos, salas, cozinhas e lavanderias;
  • espaços que não contam com janelas, mas precisam de divisão (garantindo boa luminosidade);
  • corredores nos quais se deseja criar um hall ou ainda deixá-los mais diferenciados;
  • em lofts e estúdios ajudando na divisão interna dos cômodos;
  • em áreas comerciais nas quais é preciso criar divisão de ambientes;
  • em partes do muro;
  • nas varandas, churrasqueiras, garagens e qualquer outro ponto externo da casa.
Captura de Tela 2018-07-26 às 17.03.46
Foto: ZAAV Arquitetura

Quais as vantagens do cobogó?

O cobogó apresenta muitas vantagens como:

  • preserva a ventilação e a luminosidade (algo muito importante quando se deseja dividir um ambiente que possui apenas uma janela);
  • facilidade de uso, já que não é uma parede estrutural;
  • beleza e sofisticação aos ambientes;
  • proteção contra chuva, por exemplo no caso de lavanderias que usam cobogó de vidro, mas sem retirar a luminosidade;
  • ajudam a dividir os ambientes de forma interessante e criativa;
  • traz requinte e modernidade, principalmente em fachadas ou em pontos específicos com o uso de pontos de luz à noite;
  • combinam com vários estilos decorativos.

Dicas essenciais para usar o cobogó no seu projeto

Depois de ler os tópicos anteriores, você já está convencido de que o cobogó era o que faltava para deixar a sua obra ou reforma ainda mais incrível? Então veja algumas dicas e cuidados para usar essa peça de forma adequada.

Analise os materiais

Como dissemos, os cobogós podem ser feitos de vários materiais – e a escolha deve ser baseada no que se deseja para o ambiente. Se você pretende criar uma separação para uma varanda, mas protegê-la da chuva, por exemplo, sem perder a luminosidade, o ideal é optar por um cobogó de vidro. Porém, o mesmo deve ser evitado em ambientes nos quais é importante manter a ventilação.

Outro ponto essencial é em relação a maneira como essas peças são instaladas e dispostas, já que elas podem ser colocadas de modo a ficarem muito próximas, diminuindo a circulação de ar.

Assim, pense no seu objetivo para o uso da peça e então avalie as características dos materiais, encontrando aqueles que estejam de acordo com essa necessidade.

Use-o como principal ponto de atenção

O cobogó é um elemento charmoso e que naturalmente chama a atenção em qualquer ambiente. Mas, se ele tiver de “competir” com outros elementos visuais, corre-se o risco de o cômodo ficar pequeno e sufocante (algo nada agradável).

Por isso, busque analisar o ambiente como um todo, pensando uma maneira inteligente de integrar o cobogó, sem pesar excessivamente.

Seja fiel ao seu estilo decorativo

Os desenhos que formam o cobogó podem variar muito, com modelos mais retos ou suaves e com acabamentos mais rústicos ou finos. Tudo isso deve ser levado em consideração na hora de montar o seu ambiente, garantindo que a sua decoração terá uma unidade.

Caso contrário, você poderá ter um cômodo desconexo, parecendo que as peças foram apenas “jogadas” aleatoriamente, o que não é interessante e ainda perde a força decorativa do seu elemento vazado.

Depois de ler este conteúdo, ficou mais fácil pensar em formas de incluir o cobogó na sua próxima obra ou reforma? Se você ainda tem alguma dúvida, é só deixar um comentário pra gente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s